O fantástico caso da Alezzia

por Dorian Gray

Feministas resolveram linchar a loja de móveis em aço Inox, Alezzia, devido a uma propaganda inofensiva, onde uma moça vestida em um discretíssimo maiô divulgava um cabide de aço na fanpage do facebook.

A empresa Alezzia foi  vítima dos justiceiros sociais. Mas o caso de marketing reverteu à seu favor.
A empresa Alezzia foi vítima dos justiceiros sociais. Mas o caso de marketing reverteu à seu favor.

Imediatamente, a turba de desocupadas(os) resolveu adentrar na página da empresa para negativá-la. Ou seja, o corpo é da moça, mas as regras, são da militância. A Alezzia não se fez de rogada e lançou um desafio: Se até o final de janeiro de 2017 a avaliação da empresa chegar a 1,1, ela doará R$10.000,00 a feminazi que disse que gostaria de ver a empresa chegar a 1. Porém se a avaliação estiver acima de 4, quem receberá o dinheiro será a AACD.

O marketing ofensivo da Alezzia foi ruim? Talvez. Sim, segundo o cânone do marketing. Mas enquanto alguns marketeiros escondem sua postura militante com um artigo que acham ser imparcial, vamos analisar algumas questões à luz do marketing digital.

A Alezzia está com a cotação em 2,5 estrelas no facebook (chegou a quase 1). Isto ocorreu porque como o feminismo é composto por uma militância organizada que não compra, não consome e é majoritariamente composta por estudantes de ciências humanas e desempregados, tem muito tempo livre para obedecer ao chamado de uma militante (vide figura abaixo) e atacar em massa a fanpage da empresa. Esta mesma militância, não corresponde ao público consumidor. Portanto, não passa de um grupo de marginais que negativam uma empresa que não conhecem (calunia e difamação).

Feministas enxergam machismo quando uma mulher trabalha para ganhar a vida...
Feministas enxergam machismo quando uma mulher trabalha para ganhar a vida…

A Alezzia não recebeu apenas retroalimentação negativa: milhares de pessoas, compostas por anti-feministas, liberais e conservadores (gente com real poder de compra), adentrou na fanpage e, se não conseguiu elevar a cotação, contribuiu com quase 60.000 likes (Figura abaixo).

A empresa está com quase 60.000 likes
A empresa está com quase 60.000 likes

Ou seja, o case de marketing foi longe de ser ruim e para piorar, a moça que foi tida como vítima de “objetificação” (um crime tão idiota que não resiste a 15 segundos de interrogatório) é tida como uma das proprietárias da Alezzia. Mais um tiro no pé das feministas.

Quem acredita que o marketing foi ruim, faz parte de um contingente de profissionais que vive de atomizar a própria publicidade com um medo sobrenatural de cometer um dos milhares de crimes de consciência que os justiceiros sociais criam todos os dias, ou seja: você não pode pensar nada, dizer nada, ser ninguém.
PS.: O erro da Alezzia foi dizer de antemão a quem doaria o montante: AACD. Isso foi suficiente para os criminosos disfarçados de militantes, adentrarem na fanpage da AACD e exigirem que a instituição não receba o dinheiro. Ou seja: gente que não produz, não doa e vive de aniquilar a sociedade. A publicidade ética não pode servir a marginalidade que abunda na internet.

Anúncios

6 comentários

  1. Artigo muito bom, desconcertante para as feministas e simpatizantes. É só ver a reação aqui dos patrulheiros da moral e dos costumes, ficaram perdidinhos…

  2. Não entendi: feminazi (e apoiadores) é atoa desempregada sem poder de compra que nunca visitou a loja e pessoas de bem (e sensatos em geral) são pessoas normais que visitam necessariamente a loja com poder de compra mas sem tempo pra gastar com essa briga virtual e por isso foram no site curtir a página?

  3. Penso que você deveria se informar melhor, dentre um dos absurdos que escreveste é o de que a modelo em questão é dona da loja, não é, é apenas uma modelo que foi paga para realizar um trabalho, e sobre os liberais com poder aquisitivo para comprar cadeiras de 22 mil, acho que você também não está muito ciente dos “avaliadores” da página.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s