Maria da Penha ignora os homens vítimas de violência doméstica

maria_da_penha
ONGs, coletivos, Maria da Penha e o Estado, ignoram completamente homens vítimas de violência doméstica.

Comento a matéria focada na Sra. Maria da Penha na Exame, uma revista que há muito deixou a seara da Economia para enveredar-se em politicagens.

Brasília – Símbolo brasileiro da luta contra a violência doméstica e familiar contra as mulheres, a biofarmacêutica e ativista Maria da Penha afirmou em entrevista a EXAME.com que ainda há muito o que fazer para alterar o desafio da cultura da violência no Brasil.

“É difícil mudar a cultura machista do Brasil. A Lei Maria da Penha tem como objetivo reverter a mentalidade violenta que conduz a relação entre homens e mulheres no Brasil”, explicou. http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/maria-da-penha-e-dificil-mudar-a-cultura-machista-do-brasil

Primeiro, Maria da Penha nunca concatenou ideias racionais razoáveis. Como uma vítima de um marginal sádico e violento, ela é uma pessoa passional e usada como massa de manobra por coletivos feministas (entre eles, CFEMEA e ARTEMIS): A lei Maria da Penha não serviu para reverter nenhuma “mentalidade de violência entre homens e mulheres“. A lei Maria da Penha só protege mulheres. Foi assim que ela foi concebida: para segregar a população por gênero e ignorar completamente as vítimas masculinas, sejam de outras mulheres, sejam de homens. E isso devido ao fato de terem sido ONGs feministas radicais que redigiram seu texto. Não foi um grupo de humanistas.

Segundo, entre num grupo de pais vítimas de alienação parental (quase 40.000 membros ignorados pela imprensa, judiciário e políticos) e veja a quantidade de casos de pais de família expulsos de casa, afastados de seus filhos, presos, mendigando e vivendo como indigentes. Não porque bateram em suas mulheres, mas porque foram vítimas de denunciação caluniosa e castigados com medidas protetivas injustas.

Em que pese o crime gravíssimo que esta mulher sofreu, o fato é que não passa de massa de manobra para o movimento feminista togado. Nenhum dos canalhas, baluartes pseudo-defensores das mulheres, apareceu para acudir o infeliz castrado por aquela médica urologista que está livre, leve, solta e serelepe, possivelmente fazendo compras.

O Artigo que escrevi no JUS Brasil está em anexo. A minha opinião? Nenhum esforço para conter violência doméstica contra homens foi feito, porque depende do próprio homem e o homem latino é um suicida. Acho que é uma luta perdida. Só há redução de danos.

A menos que alguém crie uma campanha com recursos audiovisuais riquíssimos, como criaram no Reino Unido – Campanha que tem de ser privada- , a Sra. “Prêmio Mundial da Paz” aí, vai continuar com seu proselitismo cínico de gênero.

Abaixo, alguns casos gravíssimos de violência doméstica envolvendo homens como vítimas. Não se engane: São milhares deles, a maioria solenemente ignorados porque as delegacias não recebem denúncias masculinas. Isso mesmo: Delegacias de violência doméstica, aka delegacias das mulheres, não recebem denúncias de homens.

Referencias bibliográficas para vítimas masculinas de violência doméstica

Mulher é presa suspeita de matar marido e queimar o corpo, em Goiás,

Mulher mata marido enquanto dormia,

Idoso é agredido por genro e filha,

Filha mata pai a facadas,

Mulher ataca namorado após ter sexo negado por ele,

Ela deixou meu coração despedaçado”, diz menino que viu mãe matar o pai,

Filha mata pai a facadas no DF,

Estudo da UNESP mostra que homens sofrem mais violência doméstica,

Mulheres praticam mais violência física do que homens,

Homens de quem não se fala: as vítimas esquecidas da violência na intimidade,

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s