Feminismo radical – A apoteose da imprensa cega!

Todos os meses, órgãos federais aparelhados por representantes dos “movimentos sociais-sociopatas”, manufaturam estudos científicos para provar seus pontos de vista. Digo manufaturam, porque de ciência, esse calhamaço de chorume não tem nada, além da capacidade de ressoar na imprensa bocó, periferia da fantasia, com imensa fluidez.

Apesar de 89% das vítimas de homicídio serem homens, o governo não está muito preocupado com os país de família, apenas para a dita epidemia de violência contra a mulher. O mais incrível resultado desta campanha de atomização do homem, é a dissolução do casamento e a criação de uma geração de titias solteironas e solitárias. Claro, o “Sinistro” do contrato de casamento, não é nada generoso, e prevê, dentre outras coisas, acusações como o “golpe do estupro”, pensões faraônicas, denunciação caluniosa contra o parceiro que não agrediu (mas foi preso mesmo assim) dentre outras maravilhas, incluindo alienação parental.

Como o feminismo consegue ser o único movimento integralmente aceito pelos nossos fisiológicos políticos e pela nossa elogiosa imprensa, estes iluminados desconsideram que possa haver qualquer sorte de radicalismo em seus infectos recônditos. Eles não imaginam que seja errado o decadente Manifesto SCUM (Society for Cutting Up Men), da esquizofrênica Valerie Solanas, que prega a extinção do homem, e tampouco podem conceber que mulheres possam xingar ou agredir seus parceiros.  A cultura do vitimismo chegou ao extremo da loucura ao desconsiderar o fato de que, tanto homens como mulheres, devidamente munidos de artifícios, podem agredir-se mutuamente.

O feminismo é assim mesmo. Ao descaracterizar o homem de suas virtudes, eles(as), dizem lutar por igualdade. Ao obter privilégios governamentais, estão na verdade compensando a “opressão histórica”. Ao militar pelo aborto, estão a lutar pelos seus direitos reprodutivos, desconsiderando o fato de que não reproduzem sozinhas e que carregam em seus corpos 23 cromossomos do homem. Há ainda a vertende de Solanas, chamada afetivamente de feminazismo, que prega atos doces, como castração física e genocídio, nada que o camarada Adolf não tenha tentado antes.

O corolário de tudo, ocorreu quando, navegando em perfis do Facebook, encontrei o esquerdista Cartunista Latuff, defensor das super-minorias com charges agressivas de péssimo gosto, e sua revolta com as nazistóides após ouvir declarações de que pretendiam pegá-lo “pra castrar”, literalmente, após a publicação de uma charge anti-feminista. Pode parecer surreal, mas a luta por “direitos iguais”, inclui arrancar fora o pênis de todos os homens que lhes fazem oposição, permitindo talvez, a manutenção de uns poucos para reprodução assistida. Eis as feminazis que a imprensa oculta e sua luta contra a “opressão”.

feminazis
Feministas e sua luta pelos “direitos iguais”: Inclui o direito de castrar seus detratores.

Fonte:
Manifesto S.C.U.M, Valerie Solanas e sua luta por “inclusão”: http://www.amazon.com/Scum-Manifesto-Valerie-Solanas/dp/1859845533

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s