Cirurgia da coluna: pode ser necessária… para o bolso do médico!

Comento artigo da Folha de São Paulo sobre o excesso de cirurgias da coluna realizadas por médicos “interessados” na saúde dos pacientes. A coisa é simples: O nome disso é grana. Os procedimentos podem chegar até a R$200.000,00 e incluem próteses que, não raramente, causam invalidez e dor crônica no paciente. Há denúncias de esquemas envolvendo médicos e fabricantes dessas próteses (alguma novidade?)

Os ricos dessas cirurgias? Ocultados pelos melhores interesses do médico na saúde de seu órgão mais frágil: O bolso.

O Hospital Albert Einstein atesta que apenas 41% dos encaminhamentos para cirurgia são realmente necessários. Visto que fazem auditoria para planos de saúde. Os tratamentos conservadores são indicados para a maioria dos pacientes e incluem fisioterapia, anti-inflamatórios e procedimentos minimamente invasivos. Com relação a postura do Dr. Marcelo Mudo, ouvido pela Folha, apenas uma sugestão: fique calado.

“Isso fere um preceito básico da ética médica que é um médico interferir ou mudar a conduta de outro. A indicação de cirurgia é prerrogativa do médico do paciente”
Dr. Marcelo Mudo, da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia.

O médico pode e deve interferir na postura de outro, caso esta postura interfira na saúde do paciente! O paciente tem direito a uma segunda, terceira ou quantas opiniões quiser. O paciente tem direito ao consentimento esclarecido e ao prontuário médico. Cirurgias de artrodese não são brincadeira, podem ter complicações severas e causar invalidez permanente. Nos EUA já representam um custo tão alto, que o governo federal de lá irá intervir. O Dr. Marcelo Mudo, ao se revoltar, está bancando o Advogado do Diabo, com uma postura classicamente corporativista e hipócrita.

O excesso destas cirurgias coroam a falência do modelo cartesiano da medicina ocidental em tratar doenças crônicas. É um modelo baseado em fast cash: Lucros rápidos, doa a quem doer. Aos pacientes, cabe sempre ouvir uma segunda opinião e se informarem sobre os riscos do procedimento. E uma última dica: Fuja de açougueiros que têm acordos monetários com fabricantes de próteses e cuidado com a lavagem cerebral, feita por médicos inescrupulosos, de que você ficará incontinente e inválido, se não operar. Isso, na maioria das vezes, é balela sem validade científica.

Ouça os bons médicos. É o melhor para a sua saúde. Abaixo o infográfico da Folha de São Paulo sobre a progressão para os tratamentos: Sempre comece pelo mais conservador e com orientação de um bom médico e fisioterapeuta. Não caia na lábia dos médicos “fast cash“.

Tratamento para à coluna, progressão:

  • Anti-inflamatórios
  • Retirada de material doente
  • Radiofrequência
  • Fisioterapia
  • Cirurgia (em casos refratários aos tratamentos conservadores)

Fontes:
http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2013/04/1265817-hospital-encontra-excesso-na-indicacao-de-cirurgia-de-coluna.shtml

http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2013/04/1265818-parecer-do-programa-de-avaliacao-de-cirurgias-gerou-processo-judicial.shtml

http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2013/04/1265824-dona-de-casa-recebeu-indicacao-incorreta-para-operar-a-cervical.shtml

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s