Gardasil: Uma bomba neurotóxica

Como sei que a postura oficial seguida pelo governo, ginecologistas e obstetras conduz para a aplicação compulsória da vacina experimental Gardasil, para supostamente proteger nossas crianças do HPV, vírus relacionado a câncer cervical, posto aqui as estatísticas da VAERS (Vaccine Adverse Event Reporting System) programa do CDC americano (Centers for Disease Control and Prevention ) para monitorar a taxa de reações adversas das vacinas. 

A pergunta que sobra é: quem culpar após uma reação grave a uma vacina que deveria ser aplicada em mulheres adultas, sexualmente ativas, e com consentimento esclarecido? O laboratório farmacêutico? Não. Laboratórias são espertos, eles imprimem as bulas com todas os efeitos colaterais e reações adversas, como um termo de isenção. A culpa recai sobre as autoridades de saúde pública e sobre a maioria dos médicos que apoiam esta campanha, onde crianças são cobaias de drogas experimentais. Abaixo, as contraindicações e reações adversas, presentes na bula oficial do laboratório MERCK, e as estatísticas do VAERS, publicadas no sanevax.org. Vou contar os dias, para ouvir o próximo meliante vir aqui dizer que isso é “coisa de internet”…

4. CONTRAINDICAÇÕES
Hipersensibilidade aos princípios ativos ou a qualquer dos excipientes da vacina. As pessoas que
desenvolvem sintomas indicativos de hipersensibilidade após receber uma dose da vacina
quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18) não devem receber outras doses.*

 

*Então porque o governo manda aplicar a segunda dose em quem teve reação. O que é isso? Homícidio pré-meditado?

[… ]Síncope (desmaio) pode ocorrer após qualquer vacinação, especialmente em adolescentes e
adultos jovens.

[…]A vacina quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18) não
é recomendada para uso durante a gravidez. 

[…]A segurança e a eficácia da vacina quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano (tipos  6, 11, 16 e 18) não foram avaliadas em crianças com menos de 9 anos de idade.
Uso em idosos
A segurança e a eficácia da vacina quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18) não foram avaliadas em adultos com mais de 26 anos de idade.
Uso em outras populações especiais
A segurança, a imunogenicidade e a eficácia da vacina quadrivalente recombinante contra
papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18) ainda não foram completamente avaliadas em
indivíduos infectados pelo HIV.

Interações medicamentosas

[…]

O uso concomitante da vacina quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18) com vacinas diferentes da vacina contra hepatite B ainda não foi estudado.
Assim, não é indicado o uso concomitante da vacina quadrivalente recombinante contra
papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18) com vacinas diferentes da vacina contra hepatite B (por exemplo vacina dT [difteria e tétano], sarampo e rubéola).

 

Outros efeitos, segundo a bula, a sua data de publicação:

Febre 10,1%, Pirexia 12,9, Diarréia 3,7. Vômitos 2,4, Mialgia 2,0, Tosse 1,9, Dor de dente 1,3, Infecção do trato respiratório superior 1,5, Mal-estar 1,2, Artralgia 1,2, Insônia 1,0, Congestão nasal 1,1, cefaleia 0,03%, gastrenterite 0,03%, apendicite 0,03%, doença inflamatória pélvica 0,02%, infecção do trato urinário 0,02%,
Óbitos: 18 pessoas

Distúrbios do sangue e sistema linfático: linfadenopatia.
Distúrbios do sistema nervoso: tontura, síndrome de Guillain-Barré, cefaleia, síncope.
Distúrbios gastrintestinais: náuseas, vômitos.
Distúrbios do sistema imunológico: reações de hipersensibilidade, incluindo reações
anafiláticas/anafilactóides, broncoespasmo e urticária.

Por fim, segue o “termo de isenção” da Merck, publicado na Bula:

Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado
eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem
ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, notifique os eventos
adversos pelo Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária – NOTIVISA, disponível em
http://www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou
Municipal.

E as estatísticas do VAERS, até julho de 2014 (em inglês):
vaers

Fontes:
Bula da Merck para Gardasil: http://www.vacinar.net/userfiles/file/Bulas/Gardasil%20-%20HPV%20-%20MSD.pdf
Vaers: http://sanevax.org/new-death-post-gardasil-updated-vaers-figures-report-that-hpv-vaccines-adverse-reactions-are-50-higher-than-other-age-related-recommended-vaccines/ 
CDC: http://www.cdc.gov/vaccinesafety/vaccines/HPV/index.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s