Wilson Damázio: fala bruta, grosseira, mas inverídica?

Wilson Damázio, Secretario de Defesa Social do Governo de Pernambuco, esqueceu a verve ortodoxa e professoral e partiu para o linguajar escrachado do povão, sem diplomacia, para responder aos questionamentos do Jornal do Commércio sobre violência policial no estado de Pernambuco.

“aqui tem muitos problemas, com mulheres, principalmente… Elas às vezes até se acham porque estão com policial. O policial exerce um fascínio no dito sexo frágil.. Eu não sei por que é que mulher gosta tanto de farda. Todo policial militar mais antigo tem duas famílias, tem uma amante, duas. É um negocio. Eu sou policial federal, feio pra c**.. a gente ia pra Floresta (Sertão), para esses lugares. Quando chegávamos lá, colocávamos o colete, as meninas ficavam tudo sassaricadas. Às vezes tinham namorado, às vezes eram mulheres casadas. Pra ela é o máximo tá dando pra um policial. Dentro da viatura, então, o fetiche vai lá em cima, é coisa de doido.”

A constatação da realidade objetiva sem diplomacia, é grosseira, porém inverídica? Se há um problema a permear determinado gênero, realmente cultural, é a apoteose orgásmica por homens de farda. Inclusive entre a classe GLBT, que nos anos 70 emulava vestimentas de policiais no estilo “macho man” nos PUBs de New York…Então, estas ONGs tapam o sol com a peneira, ao invés de acabarem com os esteriótipos da brutalidade militar e policial. E não fazem autocrítica. Nunca fizeram e nunca farão. Machismo é a face oposta do Feminismo, apenas o outro lado da mesma moeda, de pouco valor, diga-se de passagem. Feminismo é a descaracterização do outro, do viril, do homem, é uma fórmula cultural de castração, onde as virtudes masculinas são satanizadas, até as características biológicas herdadas por milhões de anos de evolução. Amplia-se, hiperbolicamente, os direitos femininos, a partir de premissas extremadas, como a execrável violência contra a mulher: Ou seja, a partir daí temos a censura do linguajar, de tudo que se diz. As pessoas perdem o parâmetro e não conseguem mais diferir violência de opinião. É tudo a mesma coisa. No estado democrático de direito Politicamente Correto da Novilíngua, você é livre para concordar com o que convém, conforme 1984 de Orwell.

O texto em citação, eu extrai do blog “esquerdista” Direitos Urbanos. Obviamente, a reação das inúmeras ONG’s que aBundam em Pernambuco, especialistas em comer verbas públicas e em pouco labor pelos menos desfavorecidos, foi estridente, como sempre. Os velhos cacoetes, repetidos ad nauseum, foram novamente… repetidos! Como o são em Deja Vú obstinado: “machismo”, “machista”, “homofóbico”, “violência patriarcal” blá-blá-blá. Prova de que essa gente odeia o patriarcalismo. É uma conduta suicida. Desde Abraão até os Rockfeller e mesmo até a família Clinton, o patriarcalismo manteve viva a esfera familiar que acolhe os desajustados, enfermos, problemáticos e sofredores que compartilham o mesmo sobrenome e laço sanguíneo. Até entre os mafiosos o patriarcalismo manteve o núcleo familiar protetor vivo. Trair a família é crime capital! Qual o subterfúgio? Isso vem lá de Antonio Gramsci e de sua revolução cultural sub-marxista: A fissão atômica do núcleo familiar, escondendo o que existe de mais nobre e revelando apenas o lado negativo da cultura patriarcal nordestina e enferma, baseada em degeneração, estupro, subserviência e racismo.

É em nome dos “psicopatas patriarcais” que esta turma define todos os pais de família. Homens que doaram as vísceras pelos seus entes queridos. Pais que choram por não terem um bom emprego, por estarem enfermos, e pelo negação das circunstâncias brutais do “Mondo Cane”, onde doariam os seus bens a sua família, aos seus filhos e em socorro dos parentes distantes. O patriarcalismo satanizado por Ongueiros. O homem desfibrado. O pai pária, que doou tudo, e recebe um ferro em brasa nas costas pela “turma dos direitos humanos” e feministas radicais assexuadas.

Fontes:
http://especiais.jconline.ne10.uol.com.br/casagrandeesenzala/wilson-damazio.php
http://direitosurbanos.wordpress.com/2013/12/19/pacto-seletivo-pela-vida-desvio-de-conduta-e-a-fala-do-secretario/

Anúncios

Um comentário

  1. Kkkkk, amigo vc pegou pesado no último parágrafo, cuidado para não ter a turma dos DH na sua cola. Eu acho que o único erro de Damázio foi não ter uma assessoria competente para orienta-lo na entrevista. O pensamento dele é de um homem que é o nordestino antigo machista e sexista, como são os nossos pais e avós, que amamos e achamos até engraçado e peculiar. É uma pena que tantas contribuições possam não ter valor algum apenas por uma entrevista infeliz. Mas, amigo, não é possível que uma pessoa que ocupava cargo de tanta importância tenha sido tão ingênuo. A imprensa vive de escândalos, eles estão sempre querendo uma “brecha” para meter o sarrafo na polícia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s