Abortistas, aborteiros ou o que se queira!

O politicamente correto é uma aberração mesmo, não acham? Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz é um defensor da vida, porém foi processado pela Primeira Turma Recursal de Brasília por chamar abortista de, pasmém, “abortista”. Interessante o fato dos defensores do aborto saberem que sua causa atualmente é criminosa, e processarem alguém por adjetivar, ou melhor, substantivar, os praticantes do ato em menção à referida causa.

Bem, esse episódio ocorreu já há algum tempo, em 2005 (http://www.olavodecarvalho.org/semana/051208jb.htm), porém o que quero mostrar é como os defensores de tais praticas, os mesmos hipócritas que defendem os “direitos humanos” e “reprodutivos” das mulheres são, além de tudo, mentirosos. E como fazer isso? Simples: comparando os dados apresentados numa recente entrevista a Revista Veja, de  Marco Aurélio de Mello, ministro do Supremo, com os dados da ex-senadora Heloisa Helena, comunista roxa, porém com algo de bom no restinho (ela é contra o aborto), segundo o ministro, que de tão cínico deveria ganhar o troféu óleo de peroba do ano:

“Temos 1 milhão de abortos clandestinos por ano no Brasil. Isso implica um risco enorme de vida para a mulher. Na maioria das vezes, o aborto é feito em condições inexistentes de assepsia, sem um apoio médico de primeira grandeza. Há uma hipocrisia aí. O aborto é punido por normas penais, mas é feito de forma escamoteada. Nosso sistema é laico.”

Aí é que vai a deixa da ex-senadora, brilhante, inda que peque no restante de sua causa política:

“Segundo ela, números do banco de dados do Sistema Único de Saúde (Datasus) mostram que, das quase 400 mil mortes de mulheres no Brasil, 64.723 foram por neoplasias; 46.369 por doenças respiratórias; cerca de 18 mil por doenças parasitárias; 20 mil por violência externa; e 1.672 por causas ligadas à gravidez, parto e puerpério (período que se segue ao parto). Ela informou que, desse total, 46 mulheres morreram por aborto provocado.[…]” (http://praxiscrista.blogspot.com/2008/07/ex-senadora-helosa-helena-se-manifesta.html)

Leram bem? Pois é, 46 mulheres morreram em decorrência do aborto provocado. De “1 milhão de abortos” dados defendidos pela Catholics for a Free Choice, uma ONG que de católica não tem nada, e fornecido pela instituição defensora da causa (mui sui generis), Planned Parenthood Foundation, atualmente colecionadora de processos em massa nos Estados Unidos, essas foram as mulheres vítimas dos abortos clandestinos. Longe de mim, querer quantificar o valor da vida humana, esse número, irrisório por demais diante de 1.000.000 de assassinatos, poderia ser erradicado com assistência médica e medidas contraceptivas destinadas a mulheres em situação de risco. Não sou contra a camisinha, embora concorde que, por falhar eventualmente, ela não seja salvo conduto para se praticar sexo promíscuo, tal método, em essência, é uma louvável barreira contra o HIV e como método contraceptivo.

De resto, só posso concordar com o ministro ao afirmar que “há uma hipocrisia aí”, certamente cabível a sua pessoa muito mais que a nós, povo brasileiro. Aliás, é pra isso que elegemos governantes, para nos chamarem de retrogrados, hipocritas, homofóbicos, racistas e o diabo. É para isso que elegemos essa gente, para que defendam minorias, enquanto a maioria passa fome e vive de salário mínimo.

Fontes:

Ex-senadora Heloísa Helena se manifesta contra o aborto, http://praxiscrista.blogspot.com/2008/07/ex-senadora-helosa-helena-se-manifesta.html
Blog do Reinaldo Azevedo, http://veja.abril.com.br/blogs/reinaldo/
Cabeça de Abortista, http://www.olavodecarvalho.org/semana/051124jb.htm

Anúncios

2 comentários

  1. O problema Isabela, é o “eu”. A mulher moderna, aquela que acha o homem um monstro, uma aberração procriativa, só se lembra do “eu”. O feto não é produto seu, é produto de dois: 24 cromossomos seus e de seu parceiro. É um custo alto. Não, não é um erro, é uma responsabilidade. Quando o homem pede pelo aborto da parceira, é um traste. Quando ocorre o oposto, a mulher é uma Pró-escolha…É esta a sociedade politicamente correta que você quer? I’m Sorry!

    “vida do que pensar em alguém que nem é uma vida direito e poder talves, comprometer minha vida e a da criança”

    Estude biologia…

  2. Eu sou uma defensora do aborto. Mas não por causa dos problemas que uma mulher pode enfrentar se realizar aborto ilegal, de forma alguma… Acho inclusive, que hoje esse método é bem seguro diante das clínicas de “alto nível” que vemos por aí. Eu penso que se hoje eu ficasse grávida não iria pensar duas vezes em cometer aborto. Acredito que vale mais a pena preservar minha integridade (inclusive moral) e continuar o curso da minha vida do que pensar em alguém que nem é uma vida direito e poder talves, comprometer minha vida e a da criança. Acho que é errado pensar na gravidez e criação de um filho como uma punição por um erro cometido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s